Publicado em Citações, Metaética

John Mackie e a subjetividade dos valores

“Argumentei […] que não há valores [morais] objetivos, […] que conclusões morais substantivas ou limitações sérias sobre pontos de vista morais não podem ser derivadas dos significados dos termos morais nem da lógica do dircurso moral” (Mackie 1977, 105)

Mackie tem uma posição subjetivista (ou cética) quanto à moral. Segundo ele valores morais, ou uma ética, não serão descobertos, mas construídos. Ele também afirma que a análise dos termos morais e da lógica de sua linguagem não são suficientes para se fazer descobertas substantivas quanto a este assunto.

“Moralidade não deve ser descoberta, mas deve ser construída: nós temos de decidir quais pontos de vista adotar, quais posições tomar. […] O objeto é […] decidir o que fazer, o que tolerar e o que condenar, quais princípios de conduta aceitar […] Entretanto, ainda se estamos olhando para a moralidade por esta via, há uma distinção a ser feita. Moralidade em sentido amplo seria uma teoria da conduta universal, que inclua a todos: a moralidade que alguém endossa seria todo aquele corpo de princípios que ele aprovou definitivamente para guiar ou determinar suas escolhas de ação. No sentido estrito, moralidade seria um uma sistema de um tipo particular de limitações sobre a conduta – algo cuja tarefa central é proteger os interesses de pessoas outras que o agente […]” (Mackie 1977, 106)

No sentido mais estrito, a moralidade funciona como um mecanismo para evitar que o agente (de modo egoísta) aja desrespeitando os interesses das demais pessoas para satisfazer os seus.

“A função da moralidade é primeiramente conter esta limitação das simpatias* dos homens. Nós podemos decidir qual deve ser o conteúdo da moralidade através de um investigação sobre como isto pode melhor ser feito” (Mackie 1977, 108)

(*) Simpatia: capacidade de compartilhar com outra os seus interesses e assim compartilhar o prazer ou dor desta pessoa.

Obs: As citações acima são traduções minhas do original citado.

Referências:
Mackie, John L. (1977) Ethics: Inventing Right and Wrong. London: Penguin Books.

Autor:

I'm a doctoral student in Philosophy at Federal University of Santa Maria, Brazil. My research focuses on the practical role of decisions on certain practical aspects of our lives, including responsibility and punishment. I'm also interested in assessing the impact of empirical studies on discussions about free will. More at: https://fischborn.wordpress.com

Um comentário em “John Mackie e a subjetividade dos valores

  1. Pois é, difícil sustentar uma moralidade matematizada, isto é, um conjunto de princípios ou regras que são seguidas passo-a-passo, como uma moral kantiana. Nesse sentido, torna-se mais divertido nós pensarmos como agentes.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s