Publicado em Filosofia para Ensino Médio, Lógica

Desafio de Lógica (a condicional material)

É meio-dia e a mãe de Pedro precisa sair de casa, sendo que não sabe a que horas irá voltar. Antes de sair, porém, ela exige de Pedro que prometa que se chover, então ele recolherá a roupa do varal. Pedro concorda. A mãe de Pedro sai. Entretanto, logo em seguida, amigos de Pedro chegam e o convidam para jogar futebol num campinho não muito próximo.

Como poderá Pedro, ao mesmo tempo, ir jogar futebol com os amigos e não descumprir o trato que fizera com a mãe, independentemente de que chova ou não?

Comente e tente acertar a resposta. Dicas? Aqui.

Autor:

I'm a doctoral student in Philosophy at Federal University of Santa Maria, Brazil. My research focuses on the practical role of decisions on certain practical aspects of our lives, including responsibility and punishment. I'm also interested in assessing the impact of empirical studies on discussions about free will. More at: https://fischborn.wordpress.com

15 comentários em “Desafio de Lógica (a condicional material)

  1. Bom, não entendo muito de lógica, mas baseada na sua explicação de “se-então” eu vou tentar responder…

    Na frase “se chover, então ele recolherá a roupa do varal.” tem 2 afirmações,
    Se a primeira frase é verdadeira (vai chover) , então a segunda também é (ele vai recolher a roupa do varal). Então é só ele recolher a roupa do varal indepedente de já ter começado a chover e ir jogar com os amigos!

    Bom, não sei se essa é a resposta, mas fiquei curisa em saber qual é!

    Abs,
    Carine W.

    1. Olá, minha professora deu-me este desafio e ja matutei mas não cosigo chegar a nenhuma resposta. Será que me pode ajudar?
      É o seguinte: Há cinco casas de diferentes cores, com donos de diferentes nacionalidades. Os proprietários bebem diferentes bebidas, têm meios de transporte diferentes e têm diferentes animais de estimação.
      Sabe-se que:
      1- o inglês vive na casa vermelha.
      2- o sueco tem cachorros.
      3- o dinamarquês bebe chá.
      4- a casa verde fica á esquerda da casa branca.
      5- o dono da casa verde bebe café.
      6- a pessoa que se desloca de automóvel cria pássaros.
      7- o dono da casa amarela desloca-se de bicicleta.
      8- o homem que vive na casa do centro bebe leite.
      9- o norueguês vive na primeira casa.
      10- o homem que se desloca de mota vive ao lado do que tem gatos.
      11- o homem que cria cavalos vive ao lado do que se desloca de bicicleta.
      12- o homem que se desloca de autocarro bebe sumo de laranja.
      13- o alemão desloca-se de metro.
      14- o norueguês vive ao lado da casa azul.
      15- o homem que se desloca de moto é vizinho do que bebe leite.

      Agora, a pergunta, QUEM TEM UM PEIXE?

  2. Eu pensei a mesma coisa que ela…
    Ele só precisa recolher as roupas independentemente de chover ou não…

    1. Como é independente que chova ou não, de acordo com a “dica” Pedro recolherá a roupa e irá jogar futebol com os amigos. Isso?

  3. Olá Pessoal!

    Parabéns e obrigado a todos pela participação. Todos acertaram a resposta (e fico feliz por isso, pois me faz ver que o exercício poderá ser uma ferramenta didática legal).

    Parabéns a todos e bons estudos!

    1. Katiuscia,

      A resposta está correta! Vale ressaltar, entretanto (apenas para que não fiquem dúvidas), que no exemplo em questão é irrelevante se as roupas estão molhadas ou não: sequer algo foi mencionado a respeito! O que vale destacar é que a solução deve ser independente de chover ou não, o que permite garantir que Pedro não estará descumprindo o prometido!

      Um abraço e continue participando no blog!

  4. Bom dia prof. Marcelo,

    Me parece que o Sr. queria dar um exemplo de “implicação material”, que às vezes, valida a proposição na tabela verdade do conectivo condicional, embora seja um absurdo.

    Na realidade, os paradoxos que existem são conceitos que os elaboradores da “tabela verdade condicional” não conseguiram concluir.

    No desafio apresentado, imagino que o Sr. tenha pensado:
    Se não chover, tanto faz, recolher ou não a roupa do varal para a proposição composta condicional ser verdadeira, então recolha a roupa do varal antes de ir jogar bola.

    Porém, não ficou clara a “implicação material” porque não ocorreu nenhum absurdo e se tivesse ocorrido, acredito que a resposta estaria matematicamente correta, segundo a tabela verdade, mas irrealizável.

    Abraços,

    Hélio

    1. Olá Hélio…

      Bem, primeiramente ainda não sou um professor e muito menos senhor :)

      Não sei se estou a par do que você menciona como “implicação material”. Eu ficaria muito grato se você pudesse explicar melhor que tipo de absurdo ou paradoxo poderia ocorrer, e o que seria uma correção matemática. Acho que estou completamente por fora dessa discussão…

      Tentando esclarecer um pouco mais o post, tentei nele apresentar o funcionamento do conetivo “se-então” da lógica proposicional clássica através de um exemplo, mostrar a suas condições de verdade a partir dos valores de verdade das proposições da qual é composta… Também é aceito no meu exemplo uma concepção do ato de fazer uma promessa como comprometer-se com tornar verdadeira uma proposição (que no caso é uma condicional). Se há algum problema aqui, por favor, não deixe de me informar!

      Um abraço,
      Marcelo Fischborn

  5. Na minha opiniao nao é pra ele recolher a roupa no varal, é pra Eli reconhecer APENAS SE CHOVER, se ele recolher e nao chover? a roupa ainda vai ficar molhada.

  6. olá professor,
    gostei do desafio e da ideia de colocar a “lógica” na vida dos jovens…
    mas acredito que aqui quase ninguem respondeu ao desafio de maneira “lógica”…ou seja, refletindo sobre as dicas e explicações teóricas que o senhor deu sobre a implicação material…. eu acho que todos responderam baseados na lógica da vivência, ou da experiência”… todo mundo já recebeu uma incumbência dos pais e sabe que o melhor é cumprir antes de sair pra se divertir… com chuva ou sem chuva… com lógica ou sem lógica… o melhor, o certo é cumprir a ordem da mamãe porque fazer a coisa errada dá dois trabalhos: o de fazer e o de consertar…abraço

  7. acho que isso não seria preciso porque se te perguntam uma coisa é bem melhor responder de forma que todos entendam..
    mas eu pecebi que as pessoas repetiram muitas vezes a mesma coisa.
    que pedro deve ter pego as roupas do varal antes de sair.
    se uma pessoa ja disse isso por que repetir?

  8. Ju,

    Não entendi muito bem o teu comentário. Queria deixar claro que críticas são bem-vindas, mas tenho que ressaltar que discordo de ti se achas que “repetir” é algo ruim ou que deveria ser evitado aqui. Em especial na filosofia, repetir o que outros já disseram (preferencialmente em outras palavras, de modo mais claro e preciso) é algo que faz parte da trajetória de qualquer um, seja por treinar a escrita ou a fala, ou simplesmente no processo de conhecer uma obra. Eu ficaria muito feliz se este blog pudesse ajudar com esse processo ;)

    Um abraço,
    Marcelo Fischborn

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s